007

Uma aventura pela América do Sul. Parte 05 – Lago Titicaca e La Paz.

Depois de ficarmos maravilhados com o Vale Sagrado, iniciamos nossa viagem para o sul do continente. As belas paisagens peruanas contrastam com alguns pobres vilarejos à beira da estrada. Fique atento as leis de trânsito e cumpra corretamente durante toda a viagem pois carros com placas estrangeiras chamam muita atenção, principalmente de policiais corruptos que estão à procura da famosa “gaseosa” (tradução literal de refrigerante, mas usada como gíria para pedir propina).

Nosso próximo destino é a capital boliviana La Paz, mas antes nos deparamos com o Lago Titicaca. Considerado o lago navegável com maior altitude em relação ao nível do mar, o Titicaca é considerado na mitologia Inca como o berço de sua civilização. Quando se chega pelo Norte, o lago proporciona uma paisagem de cinema, com a cordilheira de plano de fundo e suas águas azuis.

Neste ponto da viagem você terá duas opções para atravessar a fronteira. A primeira é contornar o lago até uma cidade chamada Desaguadero e ali realizar todos os trâmites legais. A Segunda é ir em direção a Copacabana, atravessar a fronteira e pegar a balsa até o lado boliviano.

Devido a uma informação de um conterrâneo brasileiro que nos aconselhou sobre a primeira opção, fomos até Desaguadero para ganhar tempo, como sugeriu este rapaz do interior de Mato Grosso que fazia a viagem de moto com sua esposa. Infelizmente este é pior caminho para cruzar a fronteira Peru – Bolívia. A cidade é totalmente sem estrutura e sem lei, os habitantes fazem pedágios com correntes no chão e o trânsito é totalmente sem controle. Demos a meia volta, perdemos algumas horas de viagem e resolvemos tentar a segunda opção.

Agora com sucesso, vimos uma fronteira mais organizada e sem muita movimentação. Demos saída na imigração peruana e carimbamos nosso passaporte com o selo boliviano.

Depois de um longo dia de estradas resolvemos nos hospedar em um hotel a beira do lago na cidade de Copacabana. Aqui você terá muitas opções de hotéis de luxo com preços acessíveis devido a cotação da moeda boliviana em relação ao Real. Não perca essa oportunidade de ter a vista do lago na sua janela a um preço de banana.

Chegamos a La Paz e ficamos muito impressionados com a pobreza que o entorno da capital apresenta. Algo que nos chamou muita atenção são as diversas casas sem pintura externa. Perguntamos a um morador local e ele nos informou que é devido a regra de que casas com pintura pagam mais no imposto sobre imóveis.

Programamos ficar dois dias na capital boliviana. Vamos destacar e recomendar um dos passeios mais bacanas da viagem, realizar a famosa “estrada da morte” de bicicleta.

Essa estrada ficou conhecida como a estrada mais perigosa do mundo devido ao grande número de mortes e acidentes. Ela cruza uma montanha de 4.700m de altitude, a largura de suas vias em alguns pontos chega a medir 3m e cachoeiras passam no meio da pista. Depois de muitos anos de graves acidentes construíram uma via alternativa com maior segurança e a “estrada da morte” virou atração turística.

Para realizar este passeio de bicicleta com segurança, La Paz oferece diversas agências especializadas que oferecem esta aventura. Siga as instruções do guia, desça com cuidado e aproveite o visual.

A capital da Bolívia oferece poucas opções de lazer, o pouco tempo que ficamos conhecemos o exótico mercado das bruxas e tentamos sem sucesso achar algum restaurante de qualidade. Novamente arrumamos as malas e continuamos nossa descida para conhecer um dos cenários mais estonteantes da viagem, o Salar de Uyuni.

No próximo post iremos contar sobre a entrada no Deserto do Atacama e o lindo Salar de Uyuni, com seu “céu infinito”. Não deixe de acompanhar essa aventura e outras dicas no nosso blog, assine nossa newsletter para receber notícias e novidades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *